Conheça a cidade

//Conheça a cidade
Conheça a cidade 2020-03-18T22:02:03+00:00
Dados Socioeconômicos do Município
Gentílico Messias-targinense
Área de Unidade Territorial 135,097 km²
População Estimada 4.601 pessoas
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – IDHM 0,644
PIB per capita R$ 16.667,83
Salário Médio Mensal dos Trabalhadores formais 1,4 salários mínimos
Fonte: IBGE

Em terras do município de Patu, dominadas pelo Serrote Junco e formada por calcários que permitem a conservação da umidade e da produção de juncáceos, teve início uma povoação que foi chamado Junco. Sem maiores registros oficiais o que se sabe da localidade através dos mais antigos, é que nos meados de 1852 a região de Junco era composta por uma pequena e esparsa povoação que vivia da criação de gado.

Com suas terras ricas em calcário para o fabricação de cal, as potencialidades naturais de Junco, em 1894, já eram consideradas um fato consumado. Em 8 de maio de 1962, pela Lei nº 2.750, Junco desmembrou-se da cidade de Patu, e tornou-se município permanecendo com esse nome por pouco tempo, sendo posteriormente modificado para Messias Targino, em homenagem a um antigo membro de importante família da região.

De acordo com a divisão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística vigente desde 2017, Messias Targino pertence às regiões geográficas intermediária e imediata de Mossoró. Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, o município fazia parte da microrregião do Médio Oeste, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Oeste Potiguar.

Messias Targino se limita a norte com os municípios de Janduís; a sul com o estado da Paraíba (Belém do Brejo do Cruz); a leste com Campo Grande e novamente Janduís e o estado da Paraíba e a oeste com Patu.

Fonte: Wikipedia

A economia messiense existe a partir da agricultura, que antes era praticada unicamente para a subsistência dos pequenos agricultores, mas hoje deu lugar à chamada agricultura familiar, em que os trabalhadores rurais se organizaram e criaram formas de vender parte da produção, mantendo uma parte para o próprio consumo.

A economia local, que dependia exclusivamente dos recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), ou seja, do repasse de verbas do governo federal, hoje tem outra história para contar. A cidade, que sofria com analfabetismo, desemprego, êxodo rural, entre outros problemas econômicos e sociais, é exemplo de que o investimento no empreendedorismo é inovador e transformador.

Com o surgimento de políticas públicas do Governo Federal e da Administração Municipal, em que há muitas parcerias entre o Poder Público, associações de trabalhadores, sindicato representativo do homem e da mulher do campo e outras entidades, foi criada a Feira Agroecológica e Solidária que há 5 (cinco) anos existe e que é realizada semanalmente no centro da cidade, a destinação de parte da produção para o Programa “Compra Direta” e depois, para a merenda escolar do Município, são formas de escoamento da produção da chamada agricultura familiar. Em Messias Targino, uma fábrica de produtos de limpeza e alguma facções de costuras também impulsiona a economia da cidade.

Fonte: Wikipedia